A Teoria da Evolução Humana na atualidade – A era da Consciência

A Teoria da Evolução Humana na atualidade – A era da Consciência

A TEORIA DA EVOLUÇÃO HUMANA NA ATUALIDADE  E COMO É VIVENCIADA NAS ORGANIZAÇÕES.
EM QUE ESTÁGIO ESTAMOS?

– DE DARWIN À ERA DA TRANSFORMAÇÃO DA CONSCIÊNCIA –
categoria: carreira, profissão e liderança

” Com a emergência da consciência auto-reflexiva, a plataforma da evolução moveu-se da vida para a consciência. A consciência tornou-se a ponta de lança da evolução. Evolução interior consciente é a fase particular da evolução pela qual estamos passando atualmente. ”  Peter Russell – The Global Brain

Quem são os profissionais mais preparados hoje nas Organizações?
Quem são os responsáveis por preparar pessoas fortes, criativas e capazes de alcançar metas cada vez mais arrojadas, e ao mesmo tempo satisfeitas?

por Vania Faria Sutherberry

Baseando-se na seleção natural, Darwin estabeleceu a Teoria da Evolução Humana, a qual é conhecida como darwinismo  –  a teoria evolucionista de Darwin pode ser descrita da seguinte forma: as espécies de seres vivos se transformam ao longo dos tempos, pois sofrem seleção natural, que prioriza os seres mais adaptados ao ambiente em que vivem, devido a suas características serem adequadas ao meio onde vivem. Assim, a força que gera a transformação das espécies no decorrer do tempo é a seleção natural.

Até hoje, a teoria evolucionista é bastante perceptível nos ambientes de trabalho nas Organizações de todo o mundo. Indivíduos que possuem alta capacidade de adaptação às inúmeras mudanças organizacionais (fusões, aquisições, IPO, internacionalização, estratégias de rápido crescimento, além de crises de todas as naturezas), que possuem agilidade, orientação para resultados (metas cada vez mais altas), são aqueles que conseguem ter seus “postos de trabalho” assegurados e não mais os “cargos”. Esses indivíduos crescem mais rapidamente e conseguem driblar as adversidades. Porém, acredito que não seja apenas isto.

Por que eles são os mais preparados? Nasceram prontos? Estudaram em boas escolas, aprenderam inúmeros idiomas? As empresas os prepararam? Quem é o responsável pela formação desses profissionais? Eles próprios ou as empresas onde trabalham? Quem sobreviverá mais tempo nesse mundo Evolucionista? Como?  E por quê?

O desenvolvimento humano hoje é uma responsabilidade  coletiva.  Todos os cidadãos devem preocupar-se com esta questão e fazer a sua parte – o indivíduo, a empresa, as pessoas que trabalham a favor de desenvolvimento humano (consultores, professores, terapeutas, coaches e RH das empresas) e as lideranças de um modo em geral. 

Estamos vivendo um novo paradigma. A evolução continua para todos nós humanos.

E nas empresas? O que deve ser valorizado dentro deste novo paradigma?

  • O autoconhecimento deve ser estimulado por todos, bem como a ampliação de consciência, profissionais mais auto-conhecedores de si decidem melhor, são muito mais protagonistas, são responsáveis por suas ações e apóiam os outros que ainda não atingiram o mesmo estágio de consciência. 
  • Competências devem ser valorizadas, mas, sobretudo os  valores humanos devem ser revistos e melhorados individualmente e alinhados com os valores organizacionais. 
  • Acrescento mais algumas competências e comportamentos que hoje são essenciais no ambiente cooporativo: cooperação, colaboração, trabalho em time, desenvolvimento de líderes e os líderes como responsáveis por desenvolver suas equipes (o líder coach).

Depois de anos trabalhando com desenvolvimento humano e consultoria organizacional, tenho percebido que – empresas que cuidam de suas culturas/valores e entendem que são as pessoas que fazem negócios fortes e sustentáveis são aquelas que sobreviverão mais tempo nessa nova era.

Os profissionais de hoje devem desenvolver competências organizacionais, funcionais e técnicas, mas devem também desenvolver virtudes, valores humanos mais elevados, desenvolver a capacidade de entender de gente, entender sobre relações de confiança, colaboração, trabalho em equipe, méritos do grupo, sustentabilidade ambiental e organizacional, e assim por diante. Hoje estamos vivendo uma era que não permite mais atuarmos somente conectados ao próprio Ego. Estamos na era de que a consciência deve ser ampliada com maior agilidade possível, pois os recursos / ferramental / informações estão disponíveis para todos nós em abundância. 

Resultados financeiros não deixam de ser importantes nessas novas organizações, mas chegam como consequência de uma cultura forte, saudável, e com  “talentos”  apaixonados pela empresa que trabalham (e o RH não vai precisar queimar pestana com o termo – “retenção de talentos”).

Infelizmente não são todas as empresas que já despertaram para este novo paradigma. Ainda tenho visto o “canibalismo” sendo estimulado através de inúmeros valores limitantes em algumas empresas. Competição acirrada, crachá sendo usando como forma de poder, pessoas estressadas e temerosas no ambiente de trabalho por não conseguirem cumprir todas as suas  metas, outros trabalhando 12 ou 14 horas por dia, sem tempo para cuidar de outras dimensões de suas vidas e politicagem. É isso mesmo… no ambiente coorporativo também vemos política sendo exercida em diversos formatos – da mesma forma que  a conhecemos no campo externo (governamental por exemplo).

Na minha opinião, isso é coisa do passado e precisa acabar. Empresas que ainda cultivam um tipo de cultura entrópica estão focando no curto prazo e hábitos de gestão e de liderança do passado.  É hora equilibrar esta polaridade – empresas sustentáveis /acionistas felizes & colaboradores satisfeitos/realizados com seus trabalhos. A mudança de paradigma diz respeito ao equilíbrio. Equilibrar necessidades organizacionais e humanas. Felizmente, muitos líderes já possuem esta consciência. Tenho visto que o processo evolutivo é lento, porém contínuo e sempre positivo.

Penso que Darwin ficaria feliz em ver como está se dando a evolução humana nos dias atuais, e principalmente como ela vem afetando positivamente o cenário organizacional.

Referências:

Richard Barrett, autor de “Criando uma organização dirigida por valores – Uma abordagem sistêmica para a Transformação Cultural” e “Manual da Autoliderança – Barrett Values Centre (material utilizado para programas de Liderança que utilizam o método Barrett)”.

Peter Russell, cientista e autor de  “FROM SCIENCE TO GOD: A Physicist’s Journey Into the Mystery of Consciousness” e “THE CONSCIOUSNESS REVOLUTION: A Dialogue with Ervin Laszlo and Stan Grof”.

Vania Faria Sutherberry - author and coach

Sobre Vania Faria Sutherberry –  é sócia-fundadora da Evolução Humana Consultoria, consultora especialista em Desenvolvimento Humano e Cultura Organizacional, é também coach (especialista em coaching executivo e de carreira) e ensina técnicas de autoconhecimento e autodesenvolvimento com linguagem acessível em seu livro “Lentes Coloridas  – Uma nova visão sobre destino e missão”

Ela realizou coaching para dezenas de CEOS de multinacionais e desenvolveu projetos para empresas no México, Argentina, Paraguai, Uruguai, Chile, Estados Unidos, Marrocos e Espanha. É co-autora do livro  “A World Book of Values”.

Pioneira em coaching no brasil, ela já realizou coaching para dezenas de CEOS de multinacionais e desenvolveu projetos de consultoria para empresas no México, Argentina, Paraguai, Uruguai, Chile, Estados Unidos, Marrocos e Espanha. É co-autora do livro  “A World Book of Values”.

 

A Evolução Humana trabalha a favor da “Expansão da Consciência”. 
Essa é nossa razão de existir!

Contatos:
Tel: +55 11 4551-3282
falecom@evolucaohumana.com.br 

Onde estamos:
São Paulo, SP – Brasil

Onde atuamos:
Todo o território nacional, países de idiomas inglês e espanhol.

Aguardamos seu contato! Será uma satisfação atendê-lo(la). 

1 Comentário

  • Cezar Marques Posted 23 de abril de 2012 15:54

    Jà deu para perceber que as mudanças estão sendo muito mais rápidas do que podemos acompanhar. Tenho amigos meus trabalhando em grandes organizações que já sofrem de disturbios de sono, ansiedade e medo. O que esta acontecendo põe a prova tudo o que o nosso grande arquiteto universal, não queria mas sim, gostaria que fossemos equilibrados no espiritual, família e empresa. O ser humano nao tem tempo nem pra ele próprio. Então que seleção e essa que destrói a criatura e a joga do penhasco para baixo, selecionando os melhores guerreiros que se destacarem?

Adicionar comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *