“VIVER OS VALORES” – DESENVOLVER A LIDERANÇA BASEADA EM VALORES

Palavra da consultoria: – Hoje estamos postando artigo do mais novo integrante da “comunidade consultiva – Evolução Humana”. Para nós é uma honra ter o Robson Santarém caminhando conosco na missão de levar informações e instrumentos para a abertura de consciência de pessoas, gerando transformação e elevação do Valores Humanos – dentro e fora das organizações.

Robson Santarém - consultor em Desenvolvimento Humano

Robson é consultor consagrado no segmento de Desenvolvimento Humano, é autor dos livros: Precisa-se (de) Ser Humano – Valores na Formação Profissional (QualityMark Editora), AutoLiderança – Uma Jornada Espiritual (Editora Senac Rio), A Perfeita Alegria – Francisco de Assis para Líderes e Gestores (Ed. Vozes), e é coautor de Puer & Senex – Dinâmicas Relacionais (Ed. Vozes) e de vários artigos publicados em jornais e revistas especializadas.

Abaixo artigo escrito recentemente e carinhosamente cedido para o BLOG da Evolução Humana. Uma ótima Leitura!
Vânia Faria

“Viver os Valores”

Há alguns anos fui contratado para atuar em um desenvolvimento de equipe de uma grande empresa, era um grupo grande e foram formadas seis turmas. Na ocasião fui informado que o gerente da área era uma pessoa considerada difícil pela equipe e eu mesmo pude constatar no processo de negociação algumas atitudes que me levaram a crer que realmente não devia ser tão fácil ser gerenciado por ele.

Ao longo do trabalho percebia que ele ficava muito pouco junto a equipe. Entrava na sala, ora observava as atividades, ora se envolvia um pouco mais, porém passava a maior parte do tempo na sala de apoio com o seu laptop.

Dedicava-se especialmente a escutar os feedbacks da equipe. E este sempre foi um momento muito importante no programa, quando todos eram convidados a dar e receber feedback visando à melhoria dos processos, da performance e do relacionamento dos membros da equipe.

Terminamos o trabalho conforme tinha sido contratado obtendo uma boa aprovação de todos os participantes.

Cerca de dois anos depois fui convidado novamente pelo mesmo gerente para realizar um trabalho semelhante em outra área. Ele havia recém assumido um novo posto e pretendia começar o trabalho com um desenvolvimento de equipes para logo se apresentar e se aproximar de todos e também conhecer as pessoas e desafios da gerência.

Desta vez, logo na primeira turma (também foram várias turmas), ao fazer a abertura dos trabalhos ele estimulou enfaticamente que todos aproveitassem ao máximo aquele treinamento porque ele estava convicto que seria muito bom para todos, não só no trabalho, mas também na vida pessoal, porque assim tinha sido com ele!!!

Ao ouvir isso eu realmente me espantei, porque jamais esperaria dele aquele depoimento, já que mal ele participara dos eventos anteriores… Na primeira oportunidade que tive fui questioná-lo acerca do que falara. O que afinal tinha acontecido com ele para que dissesse aquilo para a equipe?

Fazer a lista de seus valores centrais pode ser um bom começo.

Então ele me confessou o seguinte: em todas as turmas eu convidava os participantes a meditar e identificar os momentos mais importantes e felizes da vida e a partir destes chamados “momentos de plenitude” listar os seus principais valores de vida. Ao longo do processo ele foi percebendo que ele escrevia os seus valores e ia se dando conta de que não os honrava, isto é, que não vivia de acordo com eles. Que colocava a família como um valor, mas não dava a atenção devida à esposa e aos filhos. Costumava levar trabalho para casa e até mesmo nas viagens de férias, continuava trabalhando com o seu laptop. Escrevia que a ética era um valor, entretanto, muitas vezes não era ético com as pessoas, sobretudo na forma de tratar e liderar a equipe. E foi me falando de sua vida… Enfim, ao tomar consciência de suas contradições, ele decidiu mudar e me contou que desde então escreveu os seus valores em sua agenda e todos os dias antes de iniciar o seu trabalho, lia-os e firmava um propósito de viver aquele dia de acordo com eles.

Na hora fiquei perplexo e maravilhado com aquele depoimento e a partir daquele momento passei a cultivar uma profunda admiração por aquele homem que, decidindo viver de maneira coerente com os seus valores, deixou de ser apenas um gerente para se tornar também um grande líder.

Estou convicto que a liderança efetiva só acontece quando as pessoas se deixam conduzir pelos valores humanos e são capazes de inspirar outras pela força do seu caráter, pelo seu exemplo. Tais líderes assumem como uma das suas responsabilidades alinhar os seus colaboradores em torno dos valores essenciais, procurando harmonizá-los com os valores corporativos a fim de que, construindo uma cultura organizacional sustentável e baseada em princípios e valores universais, seja também construtor de um clima organizacional saudável, onde todos se sintam felizes e orgulhosos de participar, o que favorece consideravelmente para atingir e superar as metas.

É esse o caminho apontado por Richard Barrett: a transformação corporativa começa com uma mudança nos valores e comportamentos da liderança. Corporações não se transformam, pessoas sim. Transformação corporativa significa, fundamentalmente transformação pessoal. E ela só vai acontecer se houver disposição da parte do líder e de todos os que detém poder a viver de acordo com valores menos focalizados no interesse próprio e mais no bem comum. Para que a transformação seja bem sucedida, os valores e comportamentos adotados devem se difundir por toda a organização. Somente quando a liderança agir segundo as próprias palavras e os valores e comportamentos adotados estiverem completamente integrados nos sistemas de recursos humanos a cultura começara a fluir pela organização.

Igualmente pensa Simon Dolan quando diz que reconhecer o valor individual e coletivo dos colaboradores, para qualquer organização, deixou de ser opção e passou a ser obrigação. Pesquisas confirmam que a forma como as pessoas são gerenciadas produz um retorno sobre o investimento mais alto que aquele produzido pelas novas tecnologias, por pesquisa e desenvolvimento, por estratégias competitivas ou por iniciativas na área de qualidade.

Oxalá os gestores comecem a refletir sobre si mesmos e agir em conformidade com os valores que afirmam ter! Que saibamos identificar o que realmente importa: os nossos valores e vivermos de maneira coerente, honrando-os. Assim seremos melhores líderes e teremos melhores organizações, melhores famílias e sociedade.


Mais uma vez valeu aquela máxima do Gandhi “seja você a mudança que quer ver no mundo”. Esforcemo-nos, pois, cada um de nós, a mantermos firmes o propósito de sermos coerentes e trabalharmos para fazer com a vida seja melhor para todos.

Sobre a Evolução Humana – A Evolução Humana trabalha com mais de 30 consultores diagnosticando as necessidades de seus clientes em relação a desenvolvimento humano e organizacional, propondo soluções adequadas para a evolução das pessoas e processos nas empresas. Seu diferencial é o foco do cliente com soluções integradas em diferentes áreas das organizações, com treinamentos, oficinas, workshops, palestras e processos de consultoria em geral. Um de seus treinamentos aborda a questão tratada neste artigo e você pode conhecer mais detalhes clicando em:

https://www.evolucaohumana.com.br/treinamentos-oficinas-de-aprendizagem-workshops-e-palestras

A Evolução Humana trabalha a favor da “Expansão da Consciência”.
Essa é nossa razão de existir!

Mais informações: https://www.evolucaohumana.com.br/quem-somos

Adicionar comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *