“PRESENÇA – AQUI E AGORA!” Isto é possível também no ambiente de trabalho!

Presença aqui e agora - isto é possível também no ambiente de trabalho.Por Vânia Faria

Muito se fala em planejamento de carreira, organização no trabalho, alinhamento organizacional, alinhamento de valores pessoais com a função em que se ocupa na organização, gestão do tempo, resultados, liderança, etc.. etc…

E então, como estar presente, atento a si mesmo, em contínua observação, com tantas coisas para gerenciar simultaneamente, principalmente no ambiente de trabalho? Qual sua percepção sobre este assunto?

A dúvida mais presente nos profissionais hoje em dia, nos processos de coaching que tenho participado como coach, é lidar com os conflitos pessoais e as exigências organizacionais. Quantos e quantos profissionais estão buscando a integração pessoal e profissional e percebem que o que é exigido deles no ambiente de trabalho é desalinhado com os anseios pessoais. Outros se sentem angustiados e não vêem significado de fato naquilo que realizam no trabalho. Raros são os casos de profissionais que chegam a um processo de coaching completamente alinhados, felizes e realizados. Estes normalmente, já não precisam de coaching. Trabalham na missão, propósito e há pouco para alinhar. A vida já deve estar fluindo.

Quando se fala em realização integral no trabalho temos que focar em buscar o que faz sentido individualmente. Não existem regras, nem receitas prontas. É preciso insistir muito na questão de conhecer o significado da existência pessoal e onde o indivíduo poderá contribuir com a sociedade, a missão de vida, os valores pessoais, e o que lhe faz sentir-se motivado, engajado, apaixonado pelo trabalho.

Tantos e tantos profissionais passam anos ou uma vida inteira tentando buscar a satisfação e realização no trabalho através daquilo que as empresas lhes oferecem? Quantos e quantos profissionais colocam a culpa da sua insatisfação na empresa e/ou na falta de oportunidades que o suas “funções” lhes oferecem?

Culpar a empresa ou o cargo que está ocupando, pela própria insatisfação, nada mais é do que abster-se da responsabilidade de criação da própria vida, da sua felicidade ou identidade pessoal.

Às vezes anos e anos são necessários para gerar um descontentamento latente do profissional até que ele não suporte mais lidar com aquele sentimento e então começa a fazer uma busca interior. Estatisticamente observa-se que o descontentamento insuportável bate à consciência por volta dos 40 anos de idade, tanto para homens quanto para mulheres. Não generalizando, sei que isto acontece com aqueles que se recusaram a fazer uma imersão no cenário interno durante as fases etárias anteriores, e, quando chega nesta fase, acontece o inesperado. – É agora ou nunca! Não sei quanto tempo conseguirei conviver com esta angústia, e então é agora que terei que tirar a coragem de dentro de mim para mudar o que está errado com a minha vida… É chegada a idade do lobo (ou loba).  

artigo de Vânia Faria - Coaching de carreira, coaching de executivos, life coaching, coaching astrológico

“A coragem não consiste na ausência de medo e ansiedade, e sim na capacidadede prosseguir mesmo quando temeroso” – (Gary R. Collins)

… Mas mesmo com “a coragem” mais latente, não é um momento fácil. Muitas vezes para fazer as mudanças necessárias será necessário abrir mão de muitas coisas, abdicar do poder, do status, daquilo já foi conquistado…

O que muita gente não sabe é que se não fizer as mudanças necessárias, o estado de descontentamento vai aumentar… aumentar e abrir portas para somatizações.  Mas que somatizações? – perda de produtividade, falta engajamento e motivação para o trabalho, aumento do stress, e muitas vezes problemas emocionais ou de saúde, causando danos ruins para a pessoa e também para a empresa.

Poucas pessoas passam ilesas pela fase dos 40 sem refletir profundamente sobre o significado de sua vida. Aqueles que buscaram a fonte de contentamento, satisfação pessoal e profissional, o autoconhecimento, o alinhamento, anos antes, não precisaram passar por uma transição nesta fase. Conseguiram fazer gradualmente as mudanças necessárias e encontraram a satisfação e harmonia interna com as questões externas sem passar por tanta dor.

Então o que posso aconselhar é que para cada sentimento angustiante que você tenha no hoje, esteja presente. Olhe para ele, sinta, observe, investigue. Identifique a fonte. E comece a fazer as mudanças hoje, independentemente da idade que você tenha. Isso fará com que você vá alinhando gradualmente a satisfação interna com as coisas palpáveis no mundo tangível.

Não deixe para amanhã, não procrastine, não ignore o que acontece com você hoje. Não empurre a culpa para a empresa ou para o mercado de trabalho. Assumir responsabilidade pela carreira e satisfação em todas as áreas de sua vida é responsabilidade apenas sua. Os protagonistas não deixam os outros assumirem seus papéis. Ficam à frente de seus papéis e sabem muito bem a hora de atuar e recolher, mudar e melhorar em suas atuações.

Evolução Humana Consultoria - dicas para os profissionais - Vânia Faria - coaching de carreira, executivos, coaching astrológico, transpessoal

“Escutar o coração – perceber o que realmente é essencial”

Escutar o coração é essencial para identificar aquilo que realmente é importante para sua vida. Isto significa que você precisa identificar o que é essencial, perceber os sentimentos, conhecer seus valores pessoais e vivenciá-los através dos comportamentos diários (congruência), criar indicadores de satisfação para cada uma das áreas de sua vida, verificar periodicamente como estão estes indicadores e fazer as mudanças e ajustes necessários para que eles fiquem calibrados. Com isto o seu grau de satisfação com a vida eleva e o equilíbrio e felicidade adentram no seu ser.

Eu penso que você merece a felicidade a todo momento. Porém ela não vem de graça. Não conheço ninguém que diga sou feliz, e que no passado não tenha feito mudanças significativas impregnadas de muita coragem. Constato isto sempre que leio biografias de grandes nomes mundiais e pessoas que estão realizando suas missões por todos os cantos do mundo. Basta olhar um pouquinho suas histórias que perceberemos que a coragem e rompimento com padrões foram instrumentos muito importantes para eles chegarem onde chegaram.

E como diz Dalai Lama: ” Se você quer transformar o mundo, experimente primeiro promover o seu aperfeiçoamento pessoal e realizar inovações no seu próprio interior” – o caminho para a sua realização, apenas você poderá descobrir e conquistar. Como? – com   P  R  E  S  E  N  Ç  A  !

Coaching de carreira, life coaching, coaching astrológico, coching de executivos, cultura organizacional orientada para valoresSobre Vânia Faria : é consultora em desenvolvimento humano e organizacional, com mais de 20 anos vivênciando  projetos nesta área. Possui larga experiência em projetos de Cultura Organizacional orientados para Valores, Coaching de executivos e de carreira com  foco em competências, missão, visão e valores pessoais e alinhamento organizacional. É formada pelo Barrett Values Centre e também  atua como diretora executiva da Evolução Humana Consultoria.

Evolução Humana trabalha a favor da “Expansão da Consciência”.
Essa é nossa razão de existir!

Sobre a Evolução Humana uma Consultoria em Desenvolvimento Humano e OrganizacionalAtuação em praticamente todos os serviços relacionados à DHO. “Criatividade e Inovação” é marca registrada do nosso trabalho. Paixão por gente, foco do cliente, agilidade, qualidade, visão sistêmica são valores vividos e aplicados nos projetos de nossos clientes. Em treinamentos oferecemos: Mais de 100 temas disponíveis, nos formatos de Academia de Liderança, Cursos, Workshops, Oficinas de Aprendizagem e Palestras, principalmente em formato in company. Atuamos também nas áreas de: cultura organizacional e transformação cultural por valores; coaching; talent management; seleção e formação de estagiários e trainees;  consultoria em processos de desenvolvimento organizacional; e remuneração. Levamos nossos serviços para todo o território nacional e já estamos atuando também fora do Brasil (Argentina, Espanha, Marrocos, México, EUA). Somos uma equipe multidisciplinar, formada por mais de 45 consultores de nível sênior. Hoje já são centenas de empresas clientes, de todos os portes e segmentos de mercado. Peça-nos o nosso portfólio completo de serviços e de clientes através de nosso falecom@evolucaohumana.com.br.

8 Comentários

  • Maristela de André Posted 21 de outubro de 2011 14:29

    Olá Vania, seu artigo é lúcido, muito oportuno lembrar que só somos capazes de mudar a realidade no precioso AGORA”. Parabéns! Ocorreu-me incluir um comentario extraido de artigo de Eliana Gialain “Carreira não é Emprego”, na revista “Conexão Sistêmica Sul no 1, 2011”: “..o novo protagonista do desenvolvimento da carreira é o próprio indivíduo e não mais a organização”…”as próprias definições de carreira vem sofrendo alterações. Definições mais amplas do conceito de carreira transcendem os limites organizacionais…”.. “Talvez a empresa (de hoje) esteja tendo que gastar todo o seu tempo e energia sendo a protagonista da sua própria carreira.” Abraços, Maristela

  • Augusto Dotti Posted 21 de outubro de 2011 14:51

    Olá Vânia, sou consultor em gestão de pessoas, achei muto interessante esta matéria. Tenho usado por longo tempo, várias formas de entender as pessoas e seus comportamentos. Passei a usar a ferramenta DISC no qual deixa bastante claro como os diferentes comportamentos tomam diferentes decisões e como adminstram seu medos e quais as emoções que os fazem andar em frente ou esperar. Vejo que se conhecer é fundamental para que possamos seguir e enfrentar as dores da mudança. Determinados tipos de perfil comportamental, tem uma tendência maior em procrastinar sua ações, o novo os assusta em demasia.
    Mas falando do ambiente de trabalho, as tensões dos dia a dia também diminuiriam se os líderes conhecem mais sobre o perfil de seus subordinados e assim buscar alternativas para desenvolver atitudes de alta performance sem que as pessoas se arrebentem por isto.
    Entender a forma de como cada um reage, abre portas para a forma da cobrança exercida.
    Todos temos os nossos talentos, mas a grande maioria não os conheçe, isso faz com que trabalhemos por anos em lugares errados com as pessoas erradas.
    O líder sendo conhecedor do perfil comportamental de seu liderado irá alavancar este talento, tirando o máximo e mantendo um nível aceitável de felicidade.
    Achar que todas as pessoas podem capitanear suas vidas por sí mesmas é utopia. Grande parte senão alvancadas por outros padecerão onde estão.

  • Giovani De Matos Posted 24 de outubro de 2011 10:24

    Vania, muito legal, muito realista e muito profundo o seu texto.

    Trabalhei em uma instituição aonde as pessoas com muita frequência vinham reclamar do chefe, do colega, do bônus, do elevador etc. Só tem um detalhe, essa instituição sempre esteve entre as melhores companhias para se trabalhar aqui no Brasil e o índice de satisfação interno com o ambiente geral de trabalho era acima de 95% sempre. Os insatisfeitos não estavam aproveitando o “presente”.

    Para eles eu sempre fazia a mesma pergunta: onde está o contrato que o obriga a trabalhar aqui?

    O Deepak Chopra diz em um de seus livros que a palavra “presente” é muito profunda já diz tudo. Dado que não podemos mudar o passado e que o futuro a Deus pertence, a única variável que nos resta para tomar uma atitude é o presente. É um presente que recebemos e devemos aproveitá-lo ao máximo.

    Além disso, eu não sei se você conhece a música do Michael Jackson “Man in the Mirror”. O refrão diz o seguinte:

    I’m starting with the man in the mirror
    I’m asking him to change his ways
    And no message could have been any clearer
    If you wanna make the world a better place
    Take a look at yourself and then make that..
    CHANGE!

    Em bom português ele diz que se você quer fazer esse mundo um lugar melhor, comece mudando o cara que está no espelho. E eu reforço dizendo comece AGORA!

    Abraço e parabéns pelo texto.

  • Neusa Miguel Posted 26 de outubro de 2011 10:08

    Vania,
    Muito bem colocado quando nos faz pensar em voltar o olhar para nós mesmos como responsáveis e ninguém mais. É mais confortável delegar nossa trajetória profissional e posteriormente cobrar os resultados, especialmente quando não satisfatórios.
    Mudanças sempre foram e serão grandes entraves para atingirmos novos patamares, pois envolvem o novo e gera receio. Ficar na situação atual pode ser mais desconfortável e assustador do que abrir-se para o novo.
    Você nos faz crer e ter coragem de movimentar-nos. Seu texto também funciona como um “GPS” indicando o norte a seguir.
    Parabéns e obrigada.
    Grande abraço.

  • Mauricio C. Posted 21 de junho de 2012 14:57

    Oi Vânia, gostei do texto. Mostra muito a realidade que todos os seres vivenciam ou vivenciaram em algum momento de sua vida.
    É fato que é preciso coragem para seguir em frente pelos caminhos desconhecidos, mesmo sobre a maior pressão do medo pelo fato de não saber o que vem pela frente. Ter sabedoria de saber parar e olhar em volta, rever estratégias e caminhos e assim seguir mais alguns passos avançando à realização dos seus objetivos.
    Muito feliz quando diz: ” Escutar os sentimentos é a chave para acessar o significado de vida “, é isso aí precisamos aprender a ser ” Dono de nossa vida “, só assim poderemos escrever um final feliz.
    Parabéns Vânia.
    Abraços

  • José Carlos G. Ribeiro Posted 22 de junho de 2012 12:33

    Discordando apenas do conceito de “felicidade” como algo atingível, sugiro a leitura do livro “Os Lugares que nos Assustam”, de Pema Chodron, publicado pela Editora Sextante.

  • Lucy Cintra Posted 18 de julho de 2012 19:19

    Vania, acredito que o estado de presença nos traz consciência, empowerment, conexão com o essencial, alinhamento com valores primordiais, significado e sentido. Líderes e gestores em estado de presença podem criar uma nova realidade dentro das empresas, necessária para gerar evolução de pessoas e processos organizacionais. E também mais fraternas, amorosas e felizes, pois acredito muito no índice de Felicidade Interna utilizado pelo Butão e agora implementado pelo Canadá. Isso é perfeitamente possivel com foco, resultados e crescimento. Abraço grande, Lucy Cintra

  • Eduardo Prates Posted 22 de fevereiro de 2013 17:09

    Excelente artigo, com conteúdo semelhante oferecido pela Fundação ACL em SP! Recomendo.

Adicionar comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *